terça-feira, 20 de junho de 2017

Química Forense, explorando a habilidade de investigação dos alunos.

Alunos do PIBID do Colégio da Polícia Militar de Jequié concluem as atividades do primeiro semestre de 2017.
    Nesse primeiro semestre do ano, os bolsistas do programa PIBID planejaram e executaram oficinas temáticas no CPM-Jequié sobre a supervisão da professora Eliane Texeira, e coordenação da docente Alcione Torres sobre: Química Forense

      A temática foi trabalhada em 5 oficinas com metodologias diferentes.
  • 1º Oficina: Apresentação da proposta.
  • 2º Oficina: Dinâmicas e jogos que estimulam a capacidade de investigação. E identificação de assassinos a partir da simulação da cena de um crime .
  • 3º Oficina:Apresentação de técnicas da química forense.  
  • 4º Oficina: Atividade prática sobre a extração do DNA e  exibição de vídeo.
  • 5º Oficina:  Atividade prática de  identificação de sangue e uso de um simulador virtual sobre o trabalho no laboratório.
Os alunos estavam motivados e desenvolveram com entusiasmo as atividades. Confiram as fotos! 
Aluna usando o simulador

 1º Oficina 

Parte Prática


Aluno usando o simulador
4º Oficina



segunda-feira, 5 de junho de 2017

01/06/2017- Torta na Cara


No dia 01 de junho de 2017 os bolsistas elaboraram uma oficina na qual foi utilizado um jogo denominado “Chemistry Game Show”. Este jogo possui o mesmo formato do “Show do Milhão” e foi criado por um dos monitores do PIBID como uma ferramenta para o ensino de química.
No entanto, para a adaptação à oficina “Torta na Cara” foram feitas algumas modificações afim de promover uma maior interação entre os alunos.

A esquerda, o momento de explanação sobre o funcionamento da oficina.
A direita, o material preparado para a "torta na cara".

Piaget (1958 p. 158), menciona a importância da utilização dos jogos na escola, ao passo que critica a forma como os mesmos são geralmente utilizados na vida escolar.

“O jogo é uma alternativa frequentemente ignorada pela escola tradicional, por dois motivos: primeiro, pelo fato de parecer privado de relevância funcional e segundo por ser considerado apenas um descanso ou desgaste de um excedente de energia”

É preciso cuidar para que o jogo no ensino não possua apenas o caráter lúdico, cumprindo assim o seu papel na construção do conhecimento.

Acima, tela inicial do jogo. Abaixo,
Recurso da Tabela periódica.
Para a execução do “Torta na Cara” foram selecionadas questões da internet e algumas questões foram formuladas por nós, monitores do PIBID. Como temos estudantes do primeiro e terceiro ano do ensino médio, no jogo foram avaliados os conteúdos linguagem química e constituintes da matéria.

Os estudantes ainda não haviam estudado este conteúdo no horário de aula regular. Para isso não atrapalhar no resultado fizemos um material de apoio para que os estudantes pudessem ler. Este material foi enviado para os mesmos com antecedência para que eles estivessem preparados durante o jogo. Foi planejado que eles teriam um tempo de 30 min para discutir em grupo o que foi estudado, no entanto por alguns problemas técnicos não foi possível ceder este tempo de discussão.


O FORMATO DA OFICINA E AS REGRAS DO JOGO

Dividiu-se a turma em dois grupos com a mesma quantidade de alunos.
A cada rodada de perguntas um representante de cada grupo ficava responsável por responder à pergunta sorteada caso soubesse.
Como recurso do jogo, era possível solicitar a ajuda dos colegas do grupo para responder, ou ainda solicitar as cartas do jogo para que fossem eliminadas as alternativas erradas. Era possível também consultar a tabela periódica para auxilio nas respostas das questões.

Tela com uma das perguntas
 sorteadas na oficina.
Ao responder corretamente o aluno somava 1 ponto para o grupo e acertava uma “torta na cara” do adversário. Caso a resposta fosse errada, o ponto era dado para a equipe oposta e o direito de acertar a torta também.
Durante a execução do jogo foi percebido que os alunos estavam bastante interessados e entusiasmados com a forma que a oficina foi planejada. Tivemos uma quantidade razoável de alunos, alguns estudantes do primeiro ano que ficaram sem ir a uma ou mais oficinas anteriores estavam presentes na reunião em questão. Durante o jogo foram sorteadas 13 questões diferentes, sendo que dentre estas o (grupo 1) acertou 7 e o (grupo 2) acertou 6 questões.
Ao findar da oficina percebeu-se que a mesma foi capaz de produzir nos alunos o interesse em estudar o conteúdo motivados pelo desejo da disputa entre si.




terça-feira, 16 de maio de 2017

Encontro do dia 06 de abril/2017- Exibição de ideias dos alunos e apresentação do Vídeo "Um dia sem química" .

        A abertura dos trabalhos no PIBID para a data se deu com uma breve conversa com os alunos. Na data deste encontro, quatorze alunos marcaram presença, seis desses eram novatos.
       Diante das solicitações feitas pelos bolsistas na última reunião, dia 30 de março do ano corrente, onde os bolsistas solicitaram que os mesmos se empenhassem na busca de ideias a fim de tornar os encontros mais agradáveis, colocando-os como peças-chaves   desse processo, (o que é o foco do projeto que está em andamento), foi pedido que estes viessem a apresentar as suas pesquisas e explanassem para todos que se faziam presente.

      Como material de apoio para os estudantes foi distribuído anteriormente cadernos para que os mesmos escrevessem periodicamente sobre o que foi abordado durante as reuniões. Dessa forma, os alunos tinham como atividade de casa também, relatar a experiência do último encontro e levar para que os bolsistas lessem e se organizasse com base nas observações feitas.
      No entanto, as atividades relacionadas acima não foram cumpridas por todos, apenas um dos grupos fez a pesquisa solicitada e apresentou o experimento, que consistia na diferença de pressão produzida pela variação de temperatura e que podia ser evidenciada ao colocar uma bexiga exposta em um recipiente contendo água morna e outrora em água à temperatura ambiente (25º C). Alguns alunos não levaram o caderno contendo com as anotações.

      O encontro foi continuado com a exibição do vídeo “Um dia Sem Química”. A exibição do vídeo tinha a finalidade de demostrar aos alunos o quanto a química é importante para a vida humana. Após a exibição do vídeo os bolsistas indagaram sobre a ideia central do mesmo. Os alunos responderam de forma breve sobre o que haviam entendido. Em linhas gerais, a mensagem que ficou foi: “a química está presente em tudo e em todos os processos”.
Ao findar do encontro, os alunos deixaram como ideias (sugestões) para as próximas reuniões questões como:

  • ·               Como os elementos se comportam no organismo humano.
  • ·               Composição Química do para a corrosão da solda cáustica.
  • ·               Produção de energia.
  • ·               Influência da cachaça no organismo humano.
  • ·               Evento na escola
  • ·              O mundo da Química


     Assim, os bolsistas solicitaram que os mesmos buscassem informações sobre as propostas e trouxessem seus questionamentos na próxima data de encontro.